comunicação, marketing, redes socias

O poder das redes

Esse assunto é o que há no momento, redes! Hoje foi compartilhar um texto que li do E-Commerce News falando sobre a confiaça que os consumidores têm nas recomendações dos amigos. Isso justifica com certeza o sucesso das redes sociais na internet que apostam nessa postura.

Claro, o bom e velho “boca a boca” continua em alta, talvez remodelado, mas com certeza, quando você lê um amigo seu postando no Facebook que adorou o carro X novo ou a sua melhor amiga posta no Twitter que a maquiagem tal é sensacional, o que é isso se não o velho “boca a boca”? Vejam o que dizem as pesquisas:

Recomendações de amigos e familiares são as mais relevantes
Quando indagados sobre os meios mais relevantes para se obter informações durante o ciclo de compra, 90% dos entrevistados afirmam que informações de amigos e familiares são as mais eficazes, seguido por opiniões de consumidores postadas on-line (75%), sites de marcas (59%) e conteúdos editoriais, tais como matérias de jornais (55%). O nível de relevância das propagandas vinculadas nos meios tradicionais variou entre 40-50%, enquanto os canais on-line obtiveram uma pontuação mais tímida, exceto anúncios em motores de busca (42%).

Influência da mídia tradicional em queda
O estudo “Global Trust in Advertising 2012″ da Nielsen ainda mostra que o poder de persuasão das mídias tradicionais diminuiu significativamente entre 2009 e 2011. Enquanto aproximadamente metade afirma confiar em anúncios na TV (47%), revista (47%), e jornais (46%), a confiança nestes canais cedeu 24%, 20% e 25%, respectivamente.

Confiança nos anúncios on-line ainda é baixo, mas cresce
Anúncios vinculados na internet são menos persuasivos quando comparados aos exibidos em mídias tradicionais, com exceção dos divulgados em sites de marcas, que são considerados confiáveis por 58% dos consumidores. Por exemplo, apenas 40% dos compradores on-line confiam nas propagandas encontradas em motores de busca, enquanto 36% têm este sentimento sobre os anúncios em vídeos ou em sites de redes sociais. Estes resultados são semelhantes aos ostentados por outro estudo da Nielsen e NM Incite, o qual descobriu que a persuasão dos anúncios no site da marca é superior a qualquer outra forma de publicidade on-line.

Embora banners on-line sejam confiáveis para apenas 33% dos consumidores, este nível cresceu 27% desde 2007. De forma similar, enquanto o grau de confiança nos anúncios de texto vinculados em celulares é o mais baixo (29%), a proporção aumentou 61% desde 2007, e 21% quando comparado a 2009.

Anúncios