ead, educação, empreendedorismo

Instituições oferecem cursos gratuitos para empreendedores

Falta de gestão é um dos motivos que mais atrapalham as pequenas empresas. Em partes, os problemas costumam ser causados porque os empreendedores não buscam capacitação específica para lidar com finanças, estoque, equipe e vendas.

photo_7537_20080928
A boa notícia é que hoje é possível encontrar material de graça online para melhorar a gestão da sua empresa. No Sebrae, por exemplo, o empreendedor encontra mais de 150 tipos de cursos e aulas para o negócio.

Confira abaixo essa e outras instituições com cursos gratuitos sobre empreendedorismo e gestão:

1. Sebrae
O Portal de Educação a Distância Sebrae recebeu 45 novas capacitações e oferece agora 150 soluções educacionais entre cursos, oficinas, minicursos, jogos, dicas empresariais e vídeos. Para os interessados em começar um negócio, estão disponíveis 64 opções de cursos. Outras 86 opções são exclusivas para quem já possui Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ).

2. Fundação Getulio Vargas (FGV)
A Fundação Getulio Vargas (FGV) oferece diversos cursos gratuitos por meio de sua plataforma online. As aulas digitais têm temas como Recursos Humanos, Investimentos, Direitos Autorais e Finanças Pessoais. Para se inscrever nos cursos, é preciso apenas fazer um cadastro no site da FGV Online.

3. Universidade de São Paulo (USP)
A Universidade de São Paulo (USP), por meio da plataforma de ensino Veduca, oferece cursos a distância com assuntos relacionados ao empreendedorismo. Todos eles são gratuitos. Entre os temas das aulas estão Gestão de projetos, Fundamentos de Administração e Liderança, Gestão de Pessoas e do Conhecimento para Inovação, entre outros.

4. Endeavor
A Endeavor, organização de fomento ao empreendedorismo, oferece 18 cursos gratuitos e online para quem quer abrir um negócio. As aulas são de especialistas em várias áreas como vendas, inovação, gestão de pessoas, estratégia e marketing.

5. Senai
O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) oferece cursos gratuitos a distância sobre vários temas que ajudam tanto a capacitar a equipe quanto o empreendedor. As aulas estão disponíveis online ou como material impresso. Os cursos abordam temas como empreendedorismo, legislação trabalhista, segurança no trabalho e propriedade intelectual.

6. Unicamp
A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) criou uma série de cursos online com a plataforma Coursera. Um deles é sobre empreendedorismo. As aulas são dadas por Paulo Lemos, professor do Curso “O Empreendedorismo e as Competências do Empreendedor”. É destinado a empreendedores que já identificaram uma oportunidade de negócio ou para quem quer ter uma visão ampla das competências que o empreendedorismo exige.

Texto originalmente publicado por Revista PEGN

Anúncios
cursos, ead, empreendedorismo, eventos, Internet, Mulheres Empreendedoras, treinamento

Assista quase 50 palestras grátis no maior evento online de Empreendedorismo do Brasil

Na próxima segunda dia 8 de agosto inicia o maior evento online de Empreendedorismo do Brasil produzido pela Acelera Startups, maior escola de startups do Brasil, com a participação de 50 especialistas do segmento. Entre as atividades estão palestras, entrevistas e minicursos sobre empreendedorismo e assuntos que envolvem finanças, comunicação, tecnologia, coaching, além de depoimentos de grandes nomes do setor.

7 dias para o maior evento online de Empreendedorismo do Brasil“O empreendedorismo vem crescendo muito no país, ainda mais em um momento de crise. Mas o empreendedor precisa estar preparado para lidar com diferentes temas, que vão desde redes sociais até finanças. O Brasil Empreendedorismo 2016 foi planejado justamente para trazer um panorama completo sobre o setor, oferecendo uma grande oportunidade para aprender e conhecer na prática a experiência de quem já criou e consolidou seu próprio negócio”, explica Cláudio Brito, CEO da Acelera Startups.

No ano passado, o Brasil Empreendedorismo alcançou 13 mil pessoas, de 47 países diferentes. Neste ano, a ideia é contar com aproximadamente 20 mil inscritos. Para isso, o evento receberá palestras de Rosalinda Picard (Empatica), Michel Smit (Energy Floors), Christian Barbosa (Investidor anjo) e outros nomes nacionais e internacionais.

A edição deste ano também contará com um módulo voltado para negócios sociais, ou seja, projetos que combinam empreendedorismo com impacto positivo à comunidade. E também um encontro online de empretecos, participantes do maior seminário para empreendedores do mundo o Empretec.

“Promover esse conteúdo sem custos foi a nossa forma de ajudar a todos que desejam empreender seguindo os princípios dos negócios sociais definidos por Muhammad Yunus, grande referência no setor. Ao mesmo tempo que fomentamos o empreendedorismo, também abrimos uma porta para gerar um impacto real à sociedade, após o período, o participante poderá adquirir o direito de assistir as palestras por 12 meses”, finaliza Cláudio.

O Brasil Empreendedorismo acontece entre os dias 8 e 12 de agosto, totalmente online.
Website: http://www.brasilempreendedorismo.com.br

Criatividade, empreendedorismo, Financeiro e Negócios, Inovação, Mercado

Economia compartilhada, cariocas pretendem lucrar nas Olimpíadas

 

Em agosto quando começarem as Olimpíadas, diversos cariocas aproveitarão as gigantescas ondas de turistas dos vários cantos do país e do mundo para conseguir complementar sua renda ou bombar os seus negócios.

Organizados através de serviços de economia compartilhada, como o Airbnb, Dinneer e Uber, eles não se concentram apenas em áreas turísticas, oferecendo experiências nos mais variados locais da cidade, proporcionando uma experiência única que vai além da simples prestação de serviços comerciais convencional.

O Airbnb, por exemplo, é patrocinador dos Jogos Olímpicos e responsável por mais de 25% da disponibilidade de hospedagem carioca durante o evento. Joe Gebbia, fundador do site vê futuro nos serviços de economia compartilhada:  “Todo dia as pessoas estão usando a hospitalidade para ajudar umas às outras. Soube de uma história de uma turista chinesa que perdeu a carteira, e a pessoa que a estava recebendo não descansou enquanto a carteira não foi encontrada.”

Flavio Estevam, criador do site Dinneer.com diz que o prognóstico é bastante positivo: “a economia compartilhada vai suprir grande parte da demanda que o comércio tradicional, como restaurantes, hotéis e táxis, não conseguirá atender devido ao fluxo de pessoas a um custo menor e com experiência muito mais rica. A possibilidade de conhecer alguém que nunca conheceríamos normalmente e pode se tornar um grande amigo”.

Desde já pessoas como Eduardo, de 50 anos, estão se programando para receber turistas. O carioca já trabalhou profissionalmente como cozinheiro e mordomo, e hoje abre a sua casa, recebendo desconhecidos para degustar seus pratos influenciados pela culinária baiana: “Cozinhar em minha casa para quem eu não conheço é muito bacana, porque eu posso deixar a pessoa à vontade para aproveitar a experiência gastronômica diferenciada. Era exatamente isso que eu queria” diz o anfitrião, que hoje complementa a renda “se divertindo na cozinha”, conforme afirma.

empreendedorismo, varejo, venda

5 Dicas para se tornar um bom Microempreendedor Individual

MEI-1A Receita Federal do Brasil (RFB) divulgou, este ano, o crescimento de adeptos ao MEI (Microempreendedor Individual), que foi 7% maior se comparado aos seis primeiros meses de 2015. Porém, mesmo com esse aumento, as estatísticas do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) mostram que, em média, 26% desses MEIs encerram suas atividades em menos de dois anos. Este dado pode estar relacionado à falta de conhecimento do mercado, de regras e de planejamento de alguns profissionais.

 

 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Contadores de Goiás (Sescon Goiás), Francisco Lopes, é preciso estruturar um plano de negócios e conhecer suas obrigações tributárias, entre outras atividades. Por isso, o Sescon Goiás, dá algumas dicas de como se preparar para ser um bom Microempreendedor Individual.

 

Educação financeira

A primeira coisa antes de se cadastrar como MEI é estar em dia com as finanças pessoais. Somente assim é possível separar claramente o caixa da empresa das contas pessoais. Além disso, é preciso pagar até o dia 20 de cada mês o Documento de Arrecadação Simplificada (DAS). Os valores dependem da atividade exercida e oscilam entre R$ 45 e R$ 50.

 

Ser empresário

Após estar sem pendências financeiras, o microempreendedor deve se conscientizar de que agora não é mais um trabalhador comum, mas, sim, um empresário. O profissional deve traçar uma boa estratégia de negócios com planejamento e metas.

 

Entendimento da área

O profissional deve saber de todas suas obrigações financeiras, além de conhecer as diferenças entre faturamento, despesas, investimentos, lucros, demonstrativos de resultados, pró-labore. Dessa forma, é possível concretizar uma estratégia ou um planejamento sem surpresas no orçamento.

 

Riscos

Todo empreendedor corre riscos, a diferença é que alguns estão mais preparados que outros. Em uma época de crise, investir de maneira correta e focada pode ser um diferencial para o negócio. Muitas vezes, é necessário assumir riscos para chegar a bons resultados.

 

Saber a hora da mudança

Quando o MEI começar a obter grandes lucros, pode ser a hora de pensar em se formalizar como microempresa, afinal o faturamento de um microempreendedor individual só pode chegar a R$ 60 mil por ano. Para abrir uma empresa, é preciso ter o controle das finanças altamente apurado, porque a mudança implica mais tributações.

 

É claro que para se tornar um bom empreendedor é preciso muito mais do que isso, é importante também força de vontade, motivação, capacitação e muita pesquisa. Porém, seguindo estas dicas, as chances de se dar bem serão maiores.

Campanha, carreira, educação, empreendedorismo

O que a resiliência e a educação empreendedora podem fazer pelo seu filho?

Estudo comprova que crianças que crescem em lares onde o empreendedorismo é tido como estilo de vida e a resiliência uma importante ferramenta para a formação terão maiores chances de se tornar um adulto de sucesso

resiliencia

Tenho ouvido João Kepler falar sobre a resiliência há um bom tempo porque assim como ele, sempre acreditei ser fundamental as pessoas desenvolverem a característica de absorver os acontecimentos e se reinventarem de forma a voltarem a ser o que eram antes ou pessoas ainda melhores, moldadas e experientes. Desenvolver a capacidade de se adaptar as mudanças e ser flexível diante delas ao ponto de usá-las a seu favor, por si só já é motivo de admiração.

A seguir, compartilho texto de Kepler a respeito de como a resiliência e a educação podem contribuir para a formação das crianças, vejam…

Tive acesso a uma pesquisa que só fez confirmar toda a minha teoria fundamenta na prática de vida e de mercado, afinal, a resiliência é uma característica comum (ou deveria ser) a qualquer empreendedor. Duas psicólogas desenvolveram um estudo com 700 crianças que nasceram na ilha de Kauai, no Havaí, no ano de 1955. O incrível e revelador é que mais de 60 anos depois os resultados comprovam a importância do papel dos pais enquanto mentores, orientadores.

Emmy Werner e Ruth Smith dividiram as crianças em dois grupos, condições favoráveis que era composto por aqueles com uma família estruturada e amorosa e estabilidade financeira e no outro estavam às crianças de famílias muito pobres, doenças na família, pais alcoólatras e violência doméstica também eram fatores de risco no segundo grupo. As crianças foram avaliadas em diferentes idades: com 1, 2, 10, 18, 32 e 40 anos. Só por essa divisão a grande maioria de forma natural apostaria que o segundo grupo apresentaria mais problemas ao longo da vida, certo? Ficou comprovado que isso era verdade para duas em cada três crianças do grupo de risco, mas o fato é que aquele um terço surpreendeu os cientistas.

As pesquisadoras os definiram de uma forma bem interessante, foram chamados de “vulneráveis, mas invencíveis” e passaram a vida adulta sem problemas significativos. Por que essa definição? Constataram que eram competentes, confiantes e carinhosos, e deram a essa capacidade de se adaptar e superar os fatores de risco o nome de “resiliência”. Os estudiosos identificaram três fatores que impulsionaram a resiliência nas crianças de Kauai: a sua própria personalidade, um cuidador de confiança e a sensação de pertencimento a uma comunidade.

Citei essa pesquisa para mostrar que comprovadamente as crianças enxergam nos pais um espelho, principalmente nos primeiros anos de vida e que a sensação de confiança e pertencimento faz com elas possam desenvolver sua personalidade da melhor forma possível. Note ainda que os “invencíveis” eram, desde pequenos, reconhecidos como ágeis, espertos, encontraram pelo menos uma pessoa para ser sua “âncora” no caos familiar: seja um dos pais, um avó ou um professor, por exemplo. Com essa pessoa, puderam estabelecer um laço de carinho e confiança.

E o mais interessante e o que quero destacar neste artigo é que assim como adotar um estilo de vida empreendedor a resiliência pode sim ser aprendida. Pesquisas recentes associam a resiliência com a plasticidade cerebral, a capacidade do nosso cérebro de se adaptar a condições adversas. Por isso, a líder atual do projeto, Lali McCubbin, “defende que a resiliência seja vista mais como um processo do que algo que uma criança tem e a outra não”.

Acabei de lançar recentemente o livro Educando Filhos para Empreender – Editora Ser Mais (Literare Books), e nele falo justamente que é possível se tornar um empreendedor no sentido mais amplo da palavra. Nem todo mundo nasce cheio de ideias e vontade de fazer diferente, mas acredito que assim como a pesquisa mostrou em relação à resiliência que todos e, principalmente, as crianças podem ser treinadas e adquirir ao longo da vida características para melhorar a forma com que lidam tanto com os maiores desastres quanto com os estresses do dia a dia, pode ser também com o empreendedorismo.

Na minha visão, ser empreendedor é muito mais que abrir o próprio negócio, trata-se de uma atitude, da forma de enxergar e encarar as coisas, é uma forma de agir (e reagir), de pensar e de viver. Acredito que as pessoas que absorvem tais características estarão sempre um passo à frente, tanto na vida pessoal quanto na profissional. Defendo a teoria de que os pais precisam preparar seus filhos para o mundo e não tentar mudar o mundo para eles. Dê ao seu filho a chance de ver o mundo com outros olhos, o da resiliência e do empreendedorismo, que juntos podem ajudar a construir o futuro sonhado.

O livro Educando Filhos para Empreender pode ser encontrado no site da Livraria Saraiva: http://www.saraiva.com.br/educando-filhos-para-empreender-9349494.html

 

Sobre João Kepler:
Reconhecido como um dos Palestrantes mais sintonizados com Inovação e Convergência Digital do Brasil; Especialista em e-commerce, marketing, empreendedorismo e vendas; Investidor Anjo, líder do Núcleo Nordeste da @AnjosdoBrasil; Participa em mais de 40 Startups; Associado nas Investidoras Bossa Nova Investimentos e Seed Participações; Lead Partner da Plataforma @DealMatch; Cotista e Mentor nas aceleradoras@StartYouUp, @85Labs e @Aceleratech; Premiado como melhor Investidor Anjo de 2015 no prêmio Spark Awards da Microsoft, Empreendedor Serial, Conselheiro da @GCSM Global Council of Sales Marketing, CEO na plataforma SDI de Event Ticketing; Colunista de diversos portais no Brasil; Palestrante Internacional; Escritor, autor e coautor de Livros [O Vendedor na Era Digital] e [Vendas & Atendimento]; [Gigantes das Vendas] e [Educando Filhos para Empreender]; Premiado em 2013, 2014 e 2015 como um dos maiores Incentivadores do Ecossistema Empreendedor Brasileiro; Espalhador de Ideias Digitais e Melhores Práticas em Negócios.
Campanha, cursos, ead, educação, empreendedorismo, Internet, marketing, venda

O site Profissão Artesanato lança curso gratuito para ensinar artesãos a venderem seus trabalhos pela internet

O sonho de muitos artesãos é conseguir viver de artesanato. Muitas vezes esse sonho parece inalcançável e inatingível. Pensando nisso, o site Profissão Artesanato está promovendo um curso online gratuito onde os alunos aprenderão a usar o maior site de compra e venda de artesanato do Brasil, o Elo7.

O site Profissão Artesanato lança curso gratuito para ensinar artesãos a venderem seus trabalhos pela internet

Muitos artesãos se perguntam como ganhar dinheiro com artesanato e se é possível viver exclusivamente dele. O que poucos sabem é que o mercado de artesanato cresce cada dia mais e é possível aproveitar esse crescimento de formas bem simples.

O Elo7, maior site de compra e venda de artesanato do Brasil, recebe milhões de visitas mensalmente e movimenta um enorme valor financeiro. Criado em 2008, tem crescido a passos largos e atraído cada vez mais a atenção de artesãos interessados em divulgar seu trabalho. Os números divulgados são fantásticos, a cada segundo são feitas mais de 20 pesquisas internas no Elo7, o que o torna um excelente local para divulgação e venda de artesanato.

Uma das maiores vantagens do Elo7 é que ele inclui os produtos cadastrados em suas campanhas de marketing e remarketing, atraindo assim mais pessoas interessadas, sem precisar gastar com publicidade.

O curso Elo7 Essencial foi idealizado para todos aqueles que sonham em ter o artesanato como sua principal fonte de renda.

O curso ensina desde o cadastro no Elo7, até assuntos mais técnicos como a otimização de conteúdo e técnicas de relacionamento com o cliente, tudo de forma bem didática.

O curso é online e 100% gratuito, não é necessário nenhum tipo conhecimento específico.

Após concluir o curso você poderá criar sua loja facilmente de forma prática e sem segredos, personalizar a aparência da loja deixando-a com a identidade visual do seu negócio. Poderá também cadastrar seus produtos da forma correta alcançando assim mais pessoas. Além disso, durante o curso você aprenderá as melhores estratégias para fazer com que seus produtos tenham destaque e consequentemente você venda mais, e as melhores práticas para atrair novos clientes e manter os que já compraram.

No site Profissão Artesanato você pode ter mais informações sobre o curso.

Website: http://profissaoartesanato.com.br/

empreendedorismo, etc, Financeiro e Negócios, Inovação, Mercado, Mulheres Empreendedoras

Startup cria sites de aniversário e reinventa forma de comemorar

Site ajuda na organização da festa e permite ao aniversariante compartilhar com amigos e familiares todos os preparativos e ainda receber presentes em dinheiro.

Quem se aventura no ramo de festas deve estar pronto para lidar com as mais frequentes dúvidas, anseios e desejos, os quais colocam à disposição uma enorme gama de produtos e serviços a serem oferecidos. Com a busca por exclusividade e inovação, o lema é reinventar.
Startup cria sites de aniversário e reinventa forma de comemorar
Em um tempo em que as pessoas estão cada vez mais conectadas à internet, o site de aniversário é uma maneira de antecipar detalhes da comemoração e envolver os convidados na festa. Com esse tipo de serviço, além de contar a história do aniversariante, é possível enviar mensagens, fazer postagens de fotos, vídeos e presentear de forma prática, através de uma lista de presentes virtuais.

“Há muito espaço para crescer”, diz a diretora do Portal Aniversariei, Cacília Nogueira, que vislumbrou esse nicho no país, ao perceber a crescente necessidade que as pessoas possuem em dividir o que estão fazendo com as outras.
“Atendemos a esse público de aniversariantes e mães de aniversariantes que buscam modernidade e inovação, além da possibilidade de receber presentes em dinheiro”, diz Cacília, 34, ” que assemelha o serviço a uma rede social particular do aniversariante .

A Busca pelo novo

O mercado de festa está em constante renovação, nesse setor é tudo muito rápido e a criatividade relacionada à exclusividade é o que atrai os olhares mais atentos.

A startup surgiu com o objetivo de oferecer soluções completas em festas de aniversário, o portal permite que o aniversariante monte um site para sua festa, podendo escolher um template exclusivo, postar fotos, criar páginas personalizadas e até listar os fornecedores que prestam serviços para o evento. É possível, também, confirmar a lista de convidados, criar lista de presentes virtuais e deixar mensagens ao dono da festa.

Cacília Nogueira é Diretora de Relacionamento do Portal Aniversariei, startup do mercado de eventos, que vem auxiliando pessoas na organização de festas de aniversário de um modo prático e inovador, através da criação de sites modernos e criativos.

Website: https://www.aniversariei.com.br/