Uncategorized

Post de sucesso?

Diante a tantos conteúdos sobre marketing digital, resolvi falar um pouco sobre como criar bons posts e com melhor performance no Facebook.

O que escreverei abaixo são indicadores de ações realizadas com efetivo retorno.

Facebook's Influence In Consumer Consumption Of News Growing
(Photo Illustration by Justin Sullivan/Getty Images)

1. Conte uma História Real

Meio estranho mas na real tem gente que não vive neste mundo… brincadeira! O que quero dizer é que seu post tem de contar um história. A sua, a da sua empresa, da sua marca… as pessoas são atraídas por histórias da vida real que mostram valores como amizade, lealdade, amor, compaixão.

2. No Timing certo

Por isso o planejamento em Marketing Digital é vital, pois tudo que for possível ser previsto tem de estar no plano editorial, por exemplo. Depois você terá de ter a capacidade de improvisar em reação à oportunidades espontâneas.

3. Desafie seus seguidores

Quando estimulamos nossos seguidores a pensar de forma diferente, criamos uma sinergia produtiva. Ao não esperar, ao ser surpreendido, o seguidor passa a ser seu aliado fiel.

4. Seja Criativo

Quem não gosta de textos e imagens criativas? Diante à tanto conteúdo, vai se sobressair quem chamar atenção. Claro, que toda criatividade tem de estar alinhada com a identidade de sua marca, não perca a oportunidade de criar uma imagem criativa à sua marca no ambiente digital!

5. Use Frases Poderosas

Ditados inspiradores fazem sucesso porque podem ser interpretados pelos leitores como uma afirmação pessoal, algo que traz um significado individual para suas próprias vidas. Se combinar isto com uma personalidade tida como exemplar, então você está no caminho certo.

6. Não Conte o Fim da Piada

Provoque seus seguidores com um título atraente, prometa-lhes aquele fim eletrizante, mas não entregue! Esta é uma excelente ferramenta, não só para aumentar o enfoque no viral, mas também para elevar o número de cliques.

7. Invista no Visual

É simples: os usuários do Facebook recebem uma infinidade de updates de um grande número de origens. Se você quer que parem, vejam seu post e até compartilhem com os amigos, você precisa atrair a atenção deles. Nada melhor que efeitos visuais deslumbrantes e originais para atingir este propósito.

Alguns tamanhos de imagens (em pixel):
– Tamanho da capa do facebook: 851×315
– Foto do perfil: 180×180
– Compartilhar uma imagem (timeline) 404×404

 

Anúncios
evento, eventos, Tecnologia, Uncategorized

São Paulo Tech Week abre inscrições de atividades para festival de tecnologia e inovação em novembro

A SPTW 2016 será realizada de 05 a 11 de novembro e espera reunir cerca de 50 mil participantes em mais de 200 atividades distribuídas por várias regiões da cidade. O movimento teve início em 2015 e celebra o DNA criativo, inovador e empreendedor de São Paulo, fazendo da cidade palco para experimentação de tecnologias inovadoras. A SPTW busca ainda reforçar o posicionamento de São Paulo como hub global de inovação.

Idealizada pela Tech Sampa, política de estímulo à inovação da Prefeitura de São Paulo, a São Paulo Tech Week 2016 espera reunir cerca de 50 mil participantes em mais de 200 atividades distribuídas por várias regiões da cidade. O lançamento foi realizado durante a Campus Party, no início do ano, junto a parceiros do ecossistema de startups.

O movimento teve início em 2015 e celebra o DNA criativo, inovador e empreendedor de São Paulo, fazendo da cidade palco para experimentação de tecnologias inovadoras. A primeira edição envolveu mais de 80 organizadores, em 125 eventos, com um público total de 25 mil participantes.

Em 2016, a proposta é atrair ainda mais participantes, tornando a semana uma plataforma de geração de negócios e formação de novos talentos, trazendo, inclusive, participantes de outros países para São Paulo. “Queremos extrapolar os auditórios e salas de aula. A proposta para 2016 é levar a tecnologia para as ruas, mais perto das pessoas, criando um palco aberto para que a sociedade possa experimentar, sentir e se inspirar com as novas tecnologias”, afirmou Rogério Ceron, Secretário Municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico de São Paulo.

A SPTW busca ainda reforçar o posicionamento de São Paulo como hub global de inovação. A cidade é a melhor opção para quem deseja criar uma startup na América Latina, de acordo com o estudo Global Startup Ecosystem Ranking 2015. Nas edições de 2016 e 2017, a SPTW terá como parceiros de produção e organização as empresas MCI e IT Mídia, que se consagraram vencedoras do edital de chamamento público para seleção de parceiro.

As atividades inscritas na São Paulo Tech Week serão realizadas por uma ampla diversidade de parceiros independentes, podendo ser gratuitas ou pagas. Dentre o perfil de organizadores da última edição, se destacaram ONGs, entidades setoriais, organizações internacionais (como BID, Associação Brasileira de Startups, SEBRAE/SP, Projeto Arrastão), grandes empresas (como SAMSUNG, SABRE, INTEL, IBM, AMBEV), universidades e escolas (Colégio Dante Alighieri, Impacta, FIAP, USP, PUC/SP), coletivos (como Paulista Hack, Minas Programam, MiranteLab) e organizações ligadas ao poder público (como LabProdam, SP Cine e Mobilab).

Continue lendo “São Paulo Tech Week abre inscrições de atividades para festival de tecnologia e inovação em novembro”

Inovação, Internet, Uncategorized

Internet das Coisas é imperativa na Indústria 4.0

Daqui 4 anos são previstos em todo o mundo em torno de 200 bilhões de carros, aplicativos, maquinários e dispositivos realizando operações remotas, monitorando e fazendo a interação entre produtos que se comunicam via internet. Bem-vindo à nova era da indústria conectada!

internet coisas

A estimativa dos institutos de pesquisa é de que a partir de 2020, a Internet das Coisas será o maior mercado de dispositivos do planeta. São previstos, em todo o mundo, em torno de 200 bilhões de carros, aplicativos, maquinários e dispositivos realizando operações remotas, monitorando e fazendo a interação entre produtos conectados à internet.

Essa é a era da Indústria 4.0, que já começou em muitos segmentos, onde os gestores entendem que o importante é ser inovador com sustentabilidade (do planeta e dos negócios), para aumentar a qualidade dos serviços e produtos, ter maior eficiência, conveniência e menores custos de operação. Com o uso de IoT as aplicações são infinitas, porque é uma contribuição vital para empresas e indústrias criarem novos patamares de eficiência.

“Muitas indústrias acabam de entrar nessa nova era de conectividade, por meio de uma infraestrutura robusta, desenhada especificamente para ambientes hostis e pronta para a integração com os equipamentos e soluções de automação”, explica Renato Carneiro, Presidente da 2S Inovações Tecnológicas – uma das pioneiras em projetos IoT no Brasil.

De acordo com o Gartner, em 2020, os investimentos em infraestrutura de IoT serão de US$ 1,53 trilhão no mercado consumidor e US$ 1,47 trilhão no setor corporativo.

Na Indústria 4.0 o caminho é acelerar os ciclos de inovação e otimizar os processos do negócio de forma inteligente. Para ajudar empresas de todos os setores a manter o rumo nessa estrada, a Internet das Coisas tem o papel de condutor ao unir a tecnologia de sensores, conectividade, big data
e analytics.

Por outro lado, tanto na indústria como nas empresas em geral, há uma preocupação constante com a cibersegurança. “Em IoT, você tem que garantir que tudo que está conectado é mesmo real, o que é possível quando criamos uma camada adequada de segurança na solução”, resume Carneiro.

Segundo estimativa da Cisco, dependendo do setor, entre 40% e 50% dos processos manuais de manufatura, transporte, varejo, petróleo e gás, geração de energia e mineração podem ser automatizados com a IoT.

Continue lendo “Internet das Coisas é imperativa na Indústria 4.0”

Criatividade, empreendedorismo, Inovação, Mulheres Empreendedoras, Uncategorized

Presidente do Magazine Luiza inaugura Núcleo de Criatividade e Inovação do UNISAL

O UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Unidade São Paulo, Campus Santa Teresinha, vai inaugurar o Núcleo de Criatividade e Inovação (NCI) Luiza Helena Trajano, em 29 de março. A presidente do Magazine Luiza, que leva o nome do Núcleo, fará a palestra: “A criatividade e a inovação em tempos de crise.” 

banner_palestra

O objetivo do NCI é criar em alunos, professores e comunidade a inovação e a criatividade no contexto do empreendedor, debatendo com acadêmicos e profissionais de sucesso os caminhos, e seus desafios, para se iniciar negócios em um mercado cada vez mais exigente e, ao mesmo tempo, próspero para se empreender. “Queremos unir ideias e novas formas de pensar para criar um novo patamar de empreendedorismo, um empreendedorismo comunitário, onde as experiências de todos irão contribuir para o sucesso do outro”, informa Paulo Ortiz, Coordenador dos Cursos de Administração e Gestão do UNISAL.

Segundo Rosana Manzini, Diretora de Operações do UNISAL, a ideia de convidar Luiza Helena Trajano para inaugurar o NCI partiu do princípio de ter como referência a imagem de uma mulher empreendedora, que carrega a bandeira do trabalho, da gestão, da inovação, da liderança e acolhimento.

SERVIÇO
Inauguração do Núcleo de Criatividade e Inovação Luiza Helena Trajano
Local: UNISAL São Paulo, Campus Santa Teresinha:  Av. Augusto Tolle, 575 – Santana/SP
Horário da inauguração: 18h30
Palestra: “A criatividade e a inovação em tempos de crise”: 19h30
Evento gratuito e aberto ao público, com vagas limitadas
Inscrições: www.unisal.br/nci


SOBRE LUIZA HELENA TRAJANO

Luiza Helena Trajano é presidente do Magazine Luiza e do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), entidade que ajudou a fundar e reúne os maiores varejistas do país. Ela também ocupa uma das cinco vice-presidências do Conselho Diretor do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016™ e é presidente do Conselho Público Olímpico, órgão responsável pela supervisão dos preparativos para os Jogos do Rio de Janeiro. Formada em Direito e Administração de Empresas, é responsável pelo desenvolvimento do Magazine Luiza. Um dos valores mais presentes na rede varejista é colocar as pessoas em primeiro lugar. Esse, inclusive, é o fruto do investimento e a crença de Luiza Helena.  Ao longo de sua carreira, recebeu diversos prêmios e homenagens. O retorno desse trabalho é que há 18 anos o Magazine Luiza figura entre as “Melhores empresas para se trabalhar”, no ranking do Instituto Great Place to Work.

SOBRE O UNISAL
O Centro Universitário Salesiano de São Paulo está presente no mercado desde 1997 como Centro Universitário, sua história começou bem antes, em 1952, com a abertura da Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciência e Letras na cidade de Lorena/SP. Hoje conta com Unidades em Americana, Campinas, Lorena e São Paulo, e com polos de Pós-Graduação em Pindamonhangaba e São José dos Campos. O UNISAL oferece Cursos de Graduação, Extensão e Pós-Graduação Lato Sensu e Stricto Sensu.  A Instituição pertence às 77 IUS – Instituições Universitárias Salesianas – presentes em 19 países entre América, Europa, Ásia, África e Oceania.


INFORMAÇÕES À IMPRENSA
Fernanda Ito
(11) 3221-3031, ramal 231.
fernanda.ito@unisal.br

Inteligência Competitiva, Uncategorized

Inteligência Competitiva Educação: A corrida das empresas pela sala de aula do futuro

inteligecompetitiva

Escolas e universidades já testam o uso de tablets, games e óculos de realidade virtual

SÃO PAULO – Depois de fazer quase 200 aquisições pelo País nos últimos dez anos, movimentando, por baixo, R$ 13 bilhões, as companhias privadas de educação disputam agora uma corrida tecnológica. A transformação da sala de aula em um ambiente digital é uma das saídas encontradas pelas empresas para aproveitar as sinergias criadas pela formação de grandes grupos donos de redes de escolas e universidades. O conteúdo online é facilmente replicável, mas, para acessá-lo, a sala de aula tradicional precisa ser adaptada.

Escolas e universidades brasileiras já testam o uso de tablets, games e óculos de realidade virtual no processo de ensino. As empresas de material didático estão criando versões multimídia de seu conteúdo e se preparam para vendê-los por assinatura. Em algumas salas de aula, o data show se transformou em uma TV conectada, capaz de trocar mensagens com os alunos. E há estudos de como montar bancos de dados sobre os estudantes para “prever” como eles se comportam e oferecer um conteúdo virtual personalizado.

O movimento é estratégico para as empresas de educação. A Kroton, maior empresa de educação do País, comprou no fim de 2015 a startup de tecnologia Studiare. Segundo o vice-presidente de inovação e negócios da Kroton, Paulo de Tarso, a Studiare vai dar suporte ao grupo para implementar uma solução chamada de “ensino adaptativo”, uma das principais tendências nos grupos privados. Por meio da tecnologia, o aluno terá acesso a conteúdos personalizados. Ele poderá, por exemplo, assistir a uma aula virtual de contabilidade e resolver questões online. Se o resultado mostrar que ele errou os cálculos, será direcionado a uma aula de reforço de matemática.

“Para o nosso negócio ser sustentável no longo prazo, temos de entregar um profissional de qualidade ao mercado. E precisamos da tecnologia para fazer isso com viabilidade financeira. Do contrário, a conta não fecha para o acionista”, diz Tarso.

Para reforçar o projeto de ensino adaptativo, a Kroton faz pesquisas com a aplicação de games na educação e ferramentas de “big data” que permitem entender o comportamento do aluno e fornecer conteúdo personalizado.

Na Anima Educação há testes de currículos interdisciplinares, baseados em modelo de aula presencial e à distância. “A tecnologia permitirá personalizar a educação, mas com estratégia de massa”, diz Rafael Ávila, diretor de inovação da Anima. “Acreditamos que o aluno assume um papel mais ativo no processo de ensino e o professor, de orientador.”

Na prática, o investimento em tecnologia viabilizará cursos universitários híbridos, parte presencial e parte virtual. “Há uma diluição forte do custo fixo, já que o maior custo das universidades é com professores. Isso trará ganho de margem”, diz a analista de Educação da Fator Corretora, Juliana Heimbeck.

Para ela, investimentos em “ensino adaptativo” também trarão resultados para as empresas com a melhoria do desempenho dos alunos. “A evasão ainda é forte e uma das causas é a dificuldade em aprender”.

Por trazerem redução de custo, Juliana não espera que os projetos de tecnologia dos grupos privados sejam cortados em meio à crise e à diminuição da verba no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

A consultoria PwC registrou 77 aquisições no setor de Educação em três anos. “Agora, os grupos de ensino básico devem seguir essa tendência que já é forte no ensino superior”, diz Alessandro Duarte, sócio da PwC. Para ele, o investimento em tecnologia é vital para integrar unidades e gerar ganhos de escala.

Fonte: MARINA GAZZONI – O ESTADO DE S. PAULO, 24 Janeiro 2016 | 22h 00 – Atualizado: 25 Janeiro 2016 | 11h 47. Foto: Clayton de Souza/Estadão

Uncategorized

Mais de 30 palestras Marketing Minds fala para pequenas e médias empresas

A Marketing Minds promove o Congresso online e gratuito voltado para pequenas e médias empresas, com foco em ensinar táticas para atrair mais clientes e aumentar o faturamento. Serão mais de 30 palestras gratuitas sobre as novidades e técnicas de Marketing Digital, além de conteúdos ligados a a área de Vendas e Gestão. O evento conta com a participação de grandes especialistas e empresários de destaque em suas áreas.

Marketing Minds promove Congresso online e gratuito voltado para pequenas e médias empresas, com foco em ensinar táticas para atrair mais clientes e aumentar o faturamento.
logoMArketingMinds
Serão mais de 30 palestras gratuitas sobre as novidades e técnicas de Marketing Digital, além de conteúdos ligados às áreas de Vendas e Gestão. O evento conta com a participação de grandes especialistas e empresários de destaque em suas áreas.

Continue lendo “Mais de 30 palestras Marketing Minds fala para pequenas e médias empresas”

Uncategorized

Pesquisa da Officina Sophia agrupa consumidores do varejo eletrônico

e-commerce

A pesquisa produzida pela Officina Sophia apresenta cinco padrões de comportamento dos consumidores no e-commerce. De acordo com a pesquisa, eles são classificados da seguinte maneira:

– Experience Tech: menos fiéis, 30% desses consumidores fazem mais de uma compra online por mês. Geralmente abandonam o carrinho quando o processo de compra é demorado.

– Oportunista: Valoriza a confiabilidade do site em relação à entrega e fazem ao menos uma compra online por mês. Nos últimos meses, foram os responsáveis pelo segundo maior gasto médio no e-commerce – R$ 1947,00

– Experimentador: É impulsivo e o abandono do carrinho acontece quando o consumidor percebe que está gastando acima do planejado. 57% dos consumidores deste grupo fazem uma compra online ao mês.

– Fiel: Planeja suas compras e apresenta o menor índice de abandono de carrinho.

– Negociador: Pesquisa preços na internet para barganhar na loja física. Valoriza preço e variedade de produtos.

Fonte: Mundo do Marketing