carreira, comunicadores, marketing, Mkt educacional, treinamento

Capacitação “Marketing Estratégico em IES” terá início dia 1º de agosto

 

Universidade Corporativa Semesp inicia novo curso EAD em parceria com a FIA

 O Semesp – Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior inicia no próximo dia 1º de agosto o curso a distância “Marketing Estratégico em IES”, em parceria com a Fundação Instituto Administração (FIA). O curso, com uma carga horária de 18 horas, visa capacitar os profissionais para aplicação de conceitos, práticas, técnicas e ferramentas gerenciais mais atualizados em Marketing.

marketing-estrategico“O objetivo desse curso é preparar os profissionais de marketing para ocupar níveis hierárquicos superiores, além de introduzir os participantes na discussão de conceitos considerados ainda de fronteira da ciência no campo de marketing estratégico”, adianta o coordenador da Universidade Corporativa Semesp, prof. Dr. Marcio Sanches.

Segundo Sanches, podem participar da capacitação profissionais da área de marketing que atuam em Instituições de Ensino Superior e buscam reciclagem e especialização, que trabalham em outras áreas da IES, mas que percebem a necessidade do conhecimento sobre Marketing Estratégico e ingressantes na área marketing em IES que precisam adquirir os conhecimentos necessários para o desempenho das novas funções.

Os principais conceitos do curso serão explicados com ênfase em videoaulas. As aulas terão dinâmica muito próxima das presenciais e o material de apoio será exclusivo para o curso, associado aos vídeos. O tutor Riccardo V. Morici auxiliará o aluno na resolução de dúvidas. Os Quizzes fixarão o conteúdo e reforçarão a aprendizagem. O Fórum estimulará debates, troca de ideias e conhecimento. Já o estudo de caso, apresentado durante o curso, fará com que o aluno teste na prática o que aprendeu na teoria, formulando um plano estratégico de marketing para captar e reter alunos. 

O conteúdo do curso é dividido em: Marketing Estratégico: Marketing–Natureza das necessidades do cliente ao valor percebido e relevância; Processo de gestão de Marketing, esferas estratégicas e táticas; segmentação de mercado, seleção de alvo e posicionamento; estratégias para novos mercados e mercados correntes; Mix de Marketing: uma visão panorâmica; decisões de produto, preço e distribuição; Plano de Marketing – consolidação das decisões tomadas como guia de ação. Marketing estratégico aplicado às IES: estudos de caso.

“A FIA entra com a produção, operacionalização e certificação dos cursos e o Semesp completa as aulas com mais duas horas de cases específicos do ensino superior”, explica Carlos Eduardo Furlanetti, diretor de cursos do LabFin Provar, da FIA. Segundo Furlanetti os cursos da FIA em EAD são dinâmicos e têm como vantagens “um aprendizado para adquirir conhecimento aplicado no dia a dia melhorando resultados; cursos considerados no índice da Financial Times com os melhores das 30 maiores escolas do país e ainda um modelo que privilegia aulas com mestres e doutores renomados e otimamente avaliados em cursos presenciais”.

Serviço:
Marketing Estratégico em IES
Início: dia 1º de agosto

Inscrições
Informações: universidadecorporativa@semesp.org.br
Telefone: (11) 2069-4444.
Associado Semesp: R$ 540,00
Não-associado: R$750,00

 

Prof. Riccardo V. Morici – é mestre em Business Administration pela Ohio University, em História da Ciência, com foco na História do Marketing, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. É pós-graduado em General Management pela Havard Business School. MBA Corporativo pela FGV. MBA Executivo Internacional pela FGV. CEAG (especialização em Administração de Empresas) com ênfase em Marketing pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo – EAESP-FGV. Engenheiro Mecânico pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli-USP. Professor dos cursos de pós-graduação e MBA da Fundação Instituto de Administração – FIA para as disciplinas de Marketing Estratégico, Gestão de Marketing, Gestão de Marketing no Varejo e Planejamento Estratégico.
Sobre a Universidade Corporativa Semesp
Criada em junho de 2014, pelo Semesp – Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior, a Universidade Corporativa Semesp tem como objetivo capacitar e qualificar os profissionais de instituições de ensino superior, difundindo conhecimentos, técnicas e valores considerados fundamentais para o sucesso do ensino superior no Brasil. Desde sua criação já formou e capacitou cerca de 200 profissionais.
Portal: www.uc.semesp.org.br
 Atendimento à Imprensa: Ana Purchio/ 11 2069-4419 / imprensa@semesp.org.br

 

Anúncios
Campanha, evento, eventos, Mercado, Moda, Mulheres, Mulheres Empreendedoras, Plus Size, varejo, venda

Fashion Weekend Plus Size acontece domingo

Domingo, 24 de julho é dia de Fashion Weekend Plus Size! Quem vamos??? rs

modelos todas
La Robertita (batom azul), Gabriela Caroli (ruiva de batom pink), Denise Gimenez (loira de batom pink) e Isabelle Campestrini (batom amarelo).

No ano passado assisti ao FWPS e fiquei realmente encantada com o que vi. Excelente organização, grandes marcas, maravilhosas modelos e muita criatividade, bom gosto e muitas peças lindas apresentadas nas coleções que mostravam que a mulher plus pode e está com tudo! O profissionalismo é a marca registrada de Renata Poskus que há muitos anos fala sobre o universo plus size em seu blog Mulherão e há mais de 10 está à frente da causa e da organização deste evento.

O FWPS é o principal evento de moda GG do país e apresentará coleções VERÃO 2017 de grifes especializadas no setor plus size. Esta edição será realizada no Centro de Convenções Frei Caneca, localizado na Rua Frei Caneca, 569, na região da Av. Paulista.

O FWPS conta com um salão de negócios que começa às 11h. Já os desfiles acontecem a partir das 17h.

Pela primeira vez, o Fashion Weekend Plus Size realiza uma programação de Palestras direcionadas aos lojistas. A participação é gratuita para os lojistas do setor e as inscrições devem ser realizadas no site oficial (clique neste link). A credencial dá acesso às Palestras, Salão de Negócios e aos Desfiles.

A programação é a seguinte:

11h30 – “Transforme a crise do varejo em oportunidades de crescimento”, por Wilsa Sette Moraes Figueiredo, coordenadora nacional do segmento Varejo de Moda pelo SEBRAE Nacional desde 2013.

Paula Bastos Perfil

Paula Bastos, Grandes Mulheres

13h30 – “Como usar as redes sociais para reforçar a sua marca e alavancar seu negócio” por Paula Bastos, jornalista formada pela UNESP, fez diversos cursos livres de moda e comunicação digital. Atuou em grandes agências de São Paulo como assessora de imprensa e analista de redes sociais. Atualmente trabalha com consultoria, planejamento e produção de conteúdo para o segmento de moda na área digital.  Foi colaboradora de moda do site da Revista TPM e blogueira do Brasil Post. É autora do blog Grandes Mulheres.

palestrante_patricia souza

Patrícia Souza, Usefashion

15h30 – “Tendências verão 2017 – conheça os objetos de desejo das suas consumidoras na próxima temporada” por Patrícia Souza, diretora de pesquisa do Grupo UseFashion, empresa que realiza análises em profundidade de mercados globais e locais, inspirando de forma inteligente toda a cadeia de produção de moda, pesquisa e criação, chegando aos pontos de venda. Especialista em Moda e Comunicação, com 22 anos de experiência e ampla visão de negócios de moda, em sua trajetória atuou efetivamente em todos os processos da cadeia produtiva, da pesquisa até o varejo. Responde pelo direcionamento dos projetos de pesquisa e definição de tendências, tanto de moda quanto de comportamento de consumo, assim como pela análise da qualidade de todo o conteúdo do Grupo UseFashion.

Este ano um time lindo de 4 modelos super tops estão abrilhantando a campanha da 14a. edição do FWPS, entre elas a minha amiga Denise Gimenez a quem tenho muita admiração. Vejam se ela não é poderosaaaaaaaaaaaaaa!!!???!!! Estarei lá prestigiando ela, a Renata, as modelos plus e aos lojistas plus a quem tenho como clientes e amigos. Bora lá, gente!!

fashion weekend plus size 12
Denise Gimenez

Serviço:
Fashion Weekend Plus Size verão 2017
Data: 24 de julho (domingo)
Horário: Salão de Negócios das 11h às 21h

Palestras: 11h30, 13h30 e 15h30
Desfiles das 17h às 20h

Local: Centro de Convenções Frei Caneca
Rua Frei Caneca, 569 – 4º andar
São Paulo – SP

 

Ficha técnica das fotos:

Foto: Adriana Líbini
Styling: Renata Poskus
Make: Priscilla Satim
Hair: Katia Toledo
Roupas fitness: Cachopa
Jeans: Xtra Charmy

Ingressos à venda em: https://www.ticket360.com.br/evento/5913/14ordm-fashion-weekend-plus-size

Site oficial: http://fwps.com.br

Te vejo lá ou nas redes sociais, fique ligada!

Criatividade, empreendedorismo, Financeiro e Negócios, Inovação, Mercado

Economia compartilhada, cariocas pretendem lucrar nas Olimpíadas

 

Em agosto quando começarem as Olimpíadas, diversos cariocas aproveitarão as gigantescas ondas de turistas dos vários cantos do país e do mundo para conseguir complementar sua renda ou bombar os seus negócios.

Organizados através de serviços de economia compartilhada, como o Airbnb, Dinneer e Uber, eles não se concentram apenas em áreas turísticas, oferecendo experiências nos mais variados locais da cidade, proporcionando uma experiência única que vai além da simples prestação de serviços comerciais convencional.

O Airbnb, por exemplo, é patrocinador dos Jogos Olímpicos e responsável por mais de 25% da disponibilidade de hospedagem carioca durante o evento. Joe Gebbia, fundador do site vê futuro nos serviços de economia compartilhada:  “Todo dia as pessoas estão usando a hospitalidade para ajudar umas às outras. Soube de uma história de uma turista chinesa que perdeu a carteira, e a pessoa que a estava recebendo não descansou enquanto a carteira não foi encontrada.”

Flavio Estevam, criador do site Dinneer.com diz que o prognóstico é bastante positivo: “a economia compartilhada vai suprir grande parte da demanda que o comércio tradicional, como restaurantes, hotéis e táxis, não conseguirá atender devido ao fluxo de pessoas a um custo menor e com experiência muito mais rica. A possibilidade de conhecer alguém que nunca conheceríamos normalmente e pode se tornar um grande amigo”.

Desde já pessoas como Eduardo, de 50 anos, estão se programando para receber turistas. O carioca já trabalhou profissionalmente como cozinheiro e mordomo, e hoje abre a sua casa, recebendo desconhecidos para degustar seus pratos influenciados pela culinária baiana: “Cozinhar em minha casa para quem eu não conheço é muito bacana, porque eu posso deixar a pessoa à vontade para aproveitar a experiência gastronômica diferenciada. Era exatamente isso que eu queria” diz o anfitrião, que hoje complementa a renda “se divertindo na cozinha”, conforme afirma.

Inteligência Competitiva, produtividade

KPIs: O que você precisa saber!

Os indicadores-chave de desempenho (KPIs) possibilitam a obtenção do grau de implementação da Estratégia Corporativa através de medição de desempenho de atividades ou processos-chave de áreas funcionais.

Resumindo, os indicadores de desempenho são importantes para quem deseja acompanhar os resultados da empresa e que precisam tomar atitudes assertivas em pouco tempo.

Pensando nisso, a mestre em Logística e Transportes, Vilciane de Oliveira França, fez a pedido da WCA Inteligência de Negócio uma lista com os principais pontos que todo gestor deve saber sobre os indicadores. Veja abaixo:

    1. Mapeamento: antes de implantar uma gestão baseada em KPIs é preciso mapear todos os processos gerenciais da empresa.
    2. Estratégia: ao contrário do que muitos acreditam, os indicadores são gerados pelas áreas táticas e operacionais.
    3. Ciclo de vida: os KPIs possuem tempo de vida e precisam ser revisados ao longo do tempo.
    4. Sucesso: O sucesso na concepção de um KPI depende basicamente de duas coisas: saber definir/elaborar os indicadores; e obter uma base de dados sempre confiável.
    5. Definição: A definição dos indicadores deve ser uma tarefa de equipe, composta por: executivos e gerentes.

Os KPIs são importantes em todas as empresas, por isso, mesmo que algumas dúvidas existam, elas não podem limitar os gestores, mas servir de impulsionador a quem busca o crescimento.

empreendedorismo, varejo, venda

5 Dicas para se tornar um bom Microempreendedor Individual

MEI-1A Receita Federal do Brasil (RFB) divulgou, este ano, o crescimento de adeptos ao MEI (Microempreendedor Individual), que foi 7% maior se comparado aos seis primeiros meses de 2015. Porém, mesmo com esse aumento, as estatísticas do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) mostram que, em média, 26% desses MEIs encerram suas atividades em menos de dois anos. Este dado pode estar relacionado à falta de conhecimento do mercado, de regras e de planejamento de alguns profissionais.

 

 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Contadores de Goiás (Sescon Goiás), Francisco Lopes, é preciso estruturar um plano de negócios e conhecer suas obrigações tributárias, entre outras atividades. Por isso, o Sescon Goiás, dá algumas dicas de como se preparar para ser um bom Microempreendedor Individual.

 

Educação financeira

A primeira coisa antes de se cadastrar como MEI é estar em dia com as finanças pessoais. Somente assim é possível separar claramente o caixa da empresa das contas pessoais. Além disso, é preciso pagar até o dia 20 de cada mês o Documento de Arrecadação Simplificada (DAS). Os valores dependem da atividade exercida e oscilam entre R$ 45 e R$ 50.

 

Ser empresário

Após estar sem pendências financeiras, o microempreendedor deve se conscientizar de que agora não é mais um trabalhador comum, mas, sim, um empresário. O profissional deve traçar uma boa estratégia de negócios com planejamento e metas.

 

Entendimento da área

O profissional deve saber de todas suas obrigações financeiras, além de conhecer as diferenças entre faturamento, despesas, investimentos, lucros, demonstrativos de resultados, pró-labore. Dessa forma, é possível concretizar uma estratégia ou um planejamento sem surpresas no orçamento.

 

Riscos

Todo empreendedor corre riscos, a diferença é que alguns estão mais preparados que outros. Em uma época de crise, investir de maneira correta e focada pode ser um diferencial para o negócio. Muitas vezes, é necessário assumir riscos para chegar a bons resultados.

 

Saber a hora da mudança

Quando o MEI começar a obter grandes lucros, pode ser a hora de pensar em se formalizar como microempresa, afinal o faturamento de um microempreendedor individual só pode chegar a R$ 60 mil por ano. Para abrir uma empresa, é preciso ter o controle das finanças altamente apurado, porque a mudança implica mais tributações.

 

É claro que para se tornar um bom empreendedor é preciso muito mais do que isso, é importante também força de vontade, motivação, capacitação e muita pesquisa. Porém, seguindo estas dicas, as chances de se dar bem serão maiores.

Campanha, carreira, educação, empreendedorismo

O que a resiliência e a educação empreendedora podem fazer pelo seu filho?

Estudo comprova que crianças que crescem em lares onde o empreendedorismo é tido como estilo de vida e a resiliência uma importante ferramenta para a formação terão maiores chances de se tornar um adulto de sucesso

resiliencia

Tenho ouvido João Kepler falar sobre a resiliência há um bom tempo porque assim como ele, sempre acreditei ser fundamental as pessoas desenvolverem a característica de absorver os acontecimentos e se reinventarem de forma a voltarem a ser o que eram antes ou pessoas ainda melhores, moldadas e experientes. Desenvolver a capacidade de se adaptar as mudanças e ser flexível diante delas ao ponto de usá-las a seu favor, por si só já é motivo de admiração.

A seguir, compartilho texto de Kepler a respeito de como a resiliência e a educação podem contribuir para a formação das crianças, vejam…

Tive acesso a uma pesquisa que só fez confirmar toda a minha teoria fundamenta na prática de vida e de mercado, afinal, a resiliência é uma característica comum (ou deveria ser) a qualquer empreendedor. Duas psicólogas desenvolveram um estudo com 700 crianças que nasceram na ilha de Kauai, no Havaí, no ano de 1955. O incrível e revelador é que mais de 60 anos depois os resultados comprovam a importância do papel dos pais enquanto mentores, orientadores.

Emmy Werner e Ruth Smith dividiram as crianças em dois grupos, condições favoráveis que era composto por aqueles com uma família estruturada e amorosa e estabilidade financeira e no outro estavam às crianças de famílias muito pobres, doenças na família, pais alcoólatras e violência doméstica também eram fatores de risco no segundo grupo. As crianças foram avaliadas em diferentes idades: com 1, 2, 10, 18, 32 e 40 anos. Só por essa divisão a grande maioria de forma natural apostaria que o segundo grupo apresentaria mais problemas ao longo da vida, certo? Ficou comprovado que isso era verdade para duas em cada três crianças do grupo de risco, mas o fato é que aquele um terço surpreendeu os cientistas.

As pesquisadoras os definiram de uma forma bem interessante, foram chamados de “vulneráveis, mas invencíveis” e passaram a vida adulta sem problemas significativos. Por que essa definição? Constataram que eram competentes, confiantes e carinhosos, e deram a essa capacidade de se adaptar e superar os fatores de risco o nome de “resiliência”. Os estudiosos identificaram três fatores que impulsionaram a resiliência nas crianças de Kauai: a sua própria personalidade, um cuidador de confiança e a sensação de pertencimento a uma comunidade.

Citei essa pesquisa para mostrar que comprovadamente as crianças enxergam nos pais um espelho, principalmente nos primeiros anos de vida e que a sensação de confiança e pertencimento faz com elas possam desenvolver sua personalidade da melhor forma possível. Note ainda que os “invencíveis” eram, desde pequenos, reconhecidos como ágeis, espertos, encontraram pelo menos uma pessoa para ser sua “âncora” no caos familiar: seja um dos pais, um avó ou um professor, por exemplo. Com essa pessoa, puderam estabelecer um laço de carinho e confiança.

E o mais interessante e o que quero destacar neste artigo é que assim como adotar um estilo de vida empreendedor a resiliência pode sim ser aprendida. Pesquisas recentes associam a resiliência com a plasticidade cerebral, a capacidade do nosso cérebro de se adaptar a condições adversas. Por isso, a líder atual do projeto, Lali McCubbin, “defende que a resiliência seja vista mais como um processo do que algo que uma criança tem e a outra não”.

Acabei de lançar recentemente o livro Educando Filhos para Empreender – Editora Ser Mais (Literare Books), e nele falo justamente que é possível se tornar um empreendedor no sentido mais amplo da palavra. Nem todo mundo nasce cheio de ideias e vontade de fazer diferente, mas acredito que assim como a pesquisa mostrou em relação à resiliência que todos e, principalmente, as crianças podem ser treinadas e adquirir ao longo da vida características para melhorar a forma com que lidam tanto com os maiores desastres quanto com os estresses do dia a dia, pode ser também com o empreendedorismo.

Na minha visão, ser empreendedor é muito mais que abrir o próprio negócio, trata-se de uma atitude, da forma de enxergar e encarar as coisas, é uma forma de agir (e reagir), de pensar e de viver. Acredito que as pessoas que absorvem tais características estarão sempre um passo à frente, tanto na vida pessoal quanto na profissional. Defendo a teoria de que os pais precisam preparar seus filhos para o mundo e não tentar mudar o mundo para eles. Dê ao seu filho a chance de ver o mundo com outros olhos, o da resiliência e do empreendedorismo, que juntos podem ajudar a construir o futuro sonhado.

O livro Educando Filhos para Empreender pode ser encontrado no site da Livraria Saraiva: http://www.saraiva.com.br/educando-filhos-para-empreender-9349494.html

 

Sobre João Kepler:
Reconhecido como um dos Palestrantes mais sintonizados com Inovação e Convergência Digital do Brasil; Especialista em e-commerce, marketing, empreendedorismo e vendas; Investidor Anjo, líder do Núcleo Nordeste da @AnjosdoBrasil; Participa em mais de 40 Startups; Associado nas Investidoras Bossa Nova Investimentos e Seed Participações; Lead Partner da Plataforma @DealMatch; Cotista e Mentor nas aceleradoras@StartYouUp, @85Labs e @Aceleratech; Premiado como melhor Investidor Anjo de 2015 no prêmio Spark Awards da Microsoft, Empreendedor Serial, Conselheiro da @GCSM Global Council of Sales Marketing, CEO na plataforma SDI de Event Ticketing; Colunista de diversos portais no Brasil; Palestrante Internacional; Escritor, autor e coautor de Livros [O Vendedor na Era Digital] e [Vendas & Atendimento]; [Gigantes das Vendas] e [Educando Filhos para Empreender]; Premiado em 2013, 2014 e 2015 como um dos maiores Incentivadores do Ecossistema Empreendedor Brasileiro; Espalhador de Ideias Digitais e Melhores Práticas em Negócios.
etc

Mercado de Trabalho e Carreira Plus Size

Adorei este texto e quis compartilhar com vocês. Nossa carreira profissional é impactada positivamente e negativamente por diversas coisas, o peso é um dele, já pararam para pensar sobre isso? Parabéns ao Programa Eu Plus+ por abordar esta temática tão importante e muito pouca explorada.

euplus+

13523881_1345553702127208_214893583_o

Falar de crise e desemprego hoje em dia não é novidade, contudo a crise hoje não afeta apenas uma pequena parcela da população, mas simplesmente a todos, ricos e pobres.

E vamos além desse exemplo, além da questão do nível social, o padrão de corpo também é levado em consideração e infelizmente quem leva a pior nessa história são os chamados gordinhos e gordinhas como era falado anteriormente e que de uns tempos para cá o termo Plus Size  ganhou relevante participação na boca de muitos que antes usavam palavras grosseiras para se referirem a esse público.

Mas hoje é dia de falarmos de carreira para esse público Plus Size.

Em uma pesquisa rápida pela internet sobre o tema Carreira Plus Size encontramos apenas oportunidades de modelagem, mas carreira profissional não é só isso.  Muitos desses hoje considerados Plus Size há muitos anos trabalham arduamente em suas atividades afim de…

Ver o post original 472 mais palavras