empreendedorismo, PME

12 dicas para Pequenos Empreendedores

pequenos-negocios

Navegando na Internet encontrei este texto originalmente publicado pela Pequenas Empresas & Grandes Negócios que acredito de maneira resumida, ajudar os pequenos empreendedores que estão iniciando seu negócio.

A cada 100 empresas abertas no Brasil, pouco mais de 75 sobrevivem ao primeiro ano, segundo o Sebrae. Abrir um negócio é sempre um grande desafio.

Para Vinícius Roveda, fundador da ContaAzul, os cuidados dos empreendedores iniciantes devem ser redobrados. Com o objetivo de ajudar quem está começando, ele listou 12 dicas para quem quer evitar os erros mais comuns ao abrir um negócio:

1. Compartilhe a sua ideia
Essa atitude, mesmo em um estágio inicial do negócio, pode economizar um bom tempo e muito dinheiro. Esqueça o medo de que alguém irá copiar o seu projeto e compartilhe o que pensa com outros empreendedores, principalmente com aqueles que já tiveram alguma experiência semelhante.

2. Valide o seu modelo de negócio
A falta de planejamento é uma das principais causas de mortalidade das empresas. Os erros são comuns, mas o importante, segundo ele, é que as falhas sejam encaradas como um aprendizado. O ideal é testar e validar seu negócio o mais rapidamente possível – e não ter medo de mudar completamente a estratégia caso seja preciso. Lembre-se de que, se você invalida uma ideia em pouco tempo, o prejuízo é menor.

3. Conheça profundamente os seus clientes
Quanto mais você conhecer o seu cliente, maior será a probabilidade de você ter sucesso. Mas não basta apenas ter informações do tamanho do seu público-alvo e de sua preferência. Também é importante entender o comportamento, os hábitos e as rotinas de quem você quer atingir. Com essas informações em mãos, é possível personalizar produtos ou serviços, conquistar os usuários e obter sucesso mais facilmente.

4. Fuja da informalidade
Empreendedores iniciantes se veem tentados a começar suas atividades de maneira informal. A intenção principal é fugir dos impostos. No entanto, sem a formalização, o seu negócio fica impedido de crescer. A capacidade de emitir nota fiscal, criar uma conta bancária como pessoa jurídica, obter máquinas de cartão de crédito e solicitar empréstimos públicos é exclusiva para quem tem um CNPJ.

5. Seja um bom gestor administrativo
Ter experiência no ramo de atuação é importante, mas não é tudo. Boa parte dos empreendedores iniciantes acredita que é possível administrar uma empresa com o conhecimento adquirido em uma graduação específica. Sem conhecimento em administração, o empresário corre o risco de ver o negócio afundar.

6. Tenha uma vida financeira organizada
Muitos empreendedores vivem mergulhados em uma completa desorganização financeira, algo terrível para os negócios. Para “sair do vermelho”, o primeiro passo é organizar seu fluxo de caixa. Com planilhas simples, é possível controlar os valores que entram e saem, inclusive com previsões futuras. Alguns softwares de gestão auxiliam o controle financeiro, informando o que vence e o que deverá entrar no seu caixa. Dessa forma o empresário terá total controle da situação monetária e poderá planejar o crescimento saudável do negócio.

7. Separe despesas pessoais e empresariais
Às vezes, por causa de apertos financeiros ou pura desorganização, o empreendedor usa o dinheiro da empresa para pagar despesas pessoais – ou vice-versa. Segundo Roveda, esse é um dos erros mais comuns entre os donos de pequenos negócios. Ele recomenda que o empreendedor fixe uma retirada mensal dos ganhos do negócio – valor tecnicamente chamado de pró-labore – e reinvista o resto dos lucros na própria empresa, estimulando seu crescimento.

8. Defina o valor do seu produto de maneira consciente
Empreendedores iniciantes também costumam errar muito na hora de definir a margem de lucro e fixar preços de produtos. É comum encontrar empresários que vendem muito, mas se queixam de não ver o dinheiro entrar. Isso acontece em razão de cálculos equivocados. Saiba que há técnicas corretas para definir margens de lucro e preço de produtos e serviços. Se você não as conhece, está na hora de rever as finanças da empresa, segundo Roveda.

9. Saiba negociar
Cortar gastos e economizar ao máximo: o empreendedor que pensa assim vai longe, de acordo com o fundador da ContaAzul. Uma estratégia importante para conseguir o melhor aproveitamento dos recursos é negociar com os fornecedores. Se você tiver um bom fluxo de caixa, conseguirá fazer compras grandes com pagamento à vista, o que pode significar custos menores na hora de repor o estoque e lucros mais altos no momento das vendas.

10. Gerencie seu estoque
O gerenciamento de estoque também é um dos pontos fundamentais para o sucesso de um negócio, seja ele virtual ou físico. Todo empreendedor deve ter em mente que, se vender, precisa entregar. Por este motivo, é importante saber exatamente a quantidade de cada item disponível. Caso você trabalhe com mercadorias de curto prazo de validade, o controle deve ser ainda mais rigoroso.

11. Adote estratégias de comunicação
Estratégias de comunicação devem ser adotadas em qualquer negócio, seja ele de grande ou pequeno porte. Algumas medidas criativas podem ser adotadas sem grandes custos. Uma newsletter para o e-mail dos seus clientes, informando sobre novidades e promoções, é uma forma relativamente barata de informá-los. As redes sociais, segundo Roveda, não podem ser deixadas de lado.

12. Seja criativo
O fundador da ContaAzul não acredita que seja preciso “reinventar a roda”. Mas soluções criativas e diferenciais exclusivos são decisivos para levar sua empresa ao sucesso.

Sucesso!

Anúncios
Coaching, empreendedorismo, Liderança

Líder e líderes, uma particular reflexão.

liderooooo

Tenho visto um número absurdo de pessoas que desistem do meio corporativo devido à falta de postura profissional e respeitosa de seus líderes. Ainda muitos deles insistem em atitudes condenáveis; o líder que acredita saber e conhecer tudo, além de achar que todos precisam dele não são mais bem aceitos nas organizações e ainda assim, muitos praticam suas atividades baseadas nestes princípios.

“O liderar com respeito tem a ver com o líder que dá condições para o colaborador desenvolver suas habilidades em prol do seu trabalho e da empresa. Que estimula as pessoas a melhorarem cotidianamente seus próprios processos de trabalho. É aquele que instiga funcionários a enxergarem e resolverem, eles próprios, os problemas acerca de suas funções”, dizem os autores do livro Liderar com Respeito, Freddy Ballé e Michael Ballé. Gosto particularmente de outra colocação dos autores: “Líder é aquele que transforma colaboradores em solucionadores de problemas em todos os níveis da organização“.

Uma recente pesquisa realizada por LeadPix com mais de 3000 profissionais brasileiros constatou que ser “honesto e justo” (54%) são as características mais admiradas em um líder. “Disposição para escutar” com 26,7% e “ser acessível” ficou logo em seguida com 21,8%. Já, “ser autoritário” com 22,6%, “ter descaso com a equipe” com 22,4% e “ser arrogante” com 21,7% são as características mais criticadas pelos profissionais. Se analisarmos mais as principais características apontadas nesta pesquisa, não poderíamos chegar à conclusão de tudo isso quer dizer “respeito ou falta dele”?

Repensemos nossas atitudes como líderes e porque não como empreendedores? O ser humano precisa e merece respeito. Em todas as sessões de mentoria que realizei nos últimos tempos mostraram-me isso. Grande parte é oriunda do mercado corporativo, cansados de serem maltratados e até, às vezes, humilhados, eles buscam gerir um negócio próprio para colocar em prática conceitos de gestão e liderança não, ou mal experimentados no universo corporativo.

Resta saber se quando estes novos empreendedores conseguirão de fato se transformar em líderes, se praticarão as velhas receitas de liderança ou se serão capazes de construir uma nova visão empreendedora na gestão de liderança também.  Vamos observar… e quem sabe escrever mais a respeito em um outro post.

Finalizo nosso papo de hoje com uma reflexão a partir das palavras de Tom Peters, o grande mestre da gestão: “cuide dos seus funcionários como se eles fossem seus clientes! Empresas e líderes que não valorizam seus funcionários nem promovem um ambiente agradável nunca entregarão o melhor serviço ou produto para seu público”.

Uma boa e produtiva semana a todos.

Sucesso!