carreira, empreendedorismo

Do acaso à posição de dama da hotelaria

A fundadora da operadora Blue Tree, Chieko Aoki costuma desafiar prestadores de serviço e dar suporte para fazê-los crescer

SCA SÃO PAULO 22/10/2014 - OPORTUNIDADES/ CLASSIFICADOS - CHIEKO AOKI - Fotos de Chieko Aoki, dona da rede Blue Tree Hotels.FOTO SERGIO CASTRO/ESTADÃO CONTEÚDO.

No País, ela é conhecida como a dama da hotelaria. Em sua galeria de prêmios, vários a colocam entre as mulheres mais influentes do Brasil e da América Latina. Mas a fundadora da rede Blue Tree Hotels, Chieko Aoki, afirma que entrou no mundo dos negócios por acaso.

Ela conta que seu marido era dono da rede de hotéis Caesar Park, com unidades espalhadas por grandes cidades de vários países. “Quando seu sócio saiu, ele ficou sem administrador. Entrei para apagar o incêndio. No início, ocupei a diretoria de vendas e marketing”, conta.

Claro que o fato de ser formada em direito pela Universidade de São Paulo, em administração pela Universidade de Sofia, em Tóquio, e em administração hoteleira pela Cornell University, nos Estados Unidos, sustentou seu bom desempenho.

“Com os resultados da rede melhorando, assumi mais responsabilidades, até me tornar presidente. Depois de alguns anos, meu marido ficou doente e vendeu o negócio. Aí fui empreender sozinha, porque o mercado era muito bom e eu já tinha uma ótima equipe.”

O nome Blue Tree veio da tradução para o inglês do significado de seu sobrenome: árvore azul. “Tenho minhas raízes orientais. Sou muito obstinada, gosto das coisas organizadas, com disciplina. Quando criei a empresa, a primeira coisa que defini foi que todos deveriam trabalhar tendo como base esta frase de Madre Tereza de Calcutá: ‘Não deixe jamais que alguém que achegou-se de ti vá embora sem sentir-se melhor, ou mais feliz’. Essa frase resume a nossa missão.”

Em atividade desde 1997, a rede foi concebida para oferecer qualidade, conforto e excelência em serviços com padrão cinco estrelas, a preços competitivos de quatro estrelas, com foco na atenção ao cliente. “A minha forma de administrar é centralizada nas pessoas, mesmo porque nosso negócio é prestação de serviços. Estimulo os funcionários a criarem uma forma a mais de crescimento e um jeito diferente de fazer as coisas. Quando a pessoa faz muito bem algo, começa a cair no hábito. Além disso, acho importante que a equipe pense em formas para criar vínculo com os clientes”, diz.

Hoje, a rede fundada por esta imigrante japonesa de 66 anos, que chegou ao Brasil em 1956, opera 23 hotéis espalhados por 17 cidades do País, por onde passam 1,5 milhão de hóspedes por ano. “É muita responsabilidade e grande oportunidade de proporcionar uma experiência que talvez essas pessoas nunca tenham tido.” Hoje, sob seu comando estão 2,1 mil funcionários diretos e 700 indiretos. Em 2013, o faturamento dos hotéis administrados pela Blue Tree atingiu R$ 349, 7 milhões.

Na carreira empreendedora, no entanto, ela enfrentou altos e baixos. “Não encaro as dificuldades como algo negativo. Acho que é sempre um aprendizado. Certas vezes, penso que vida de empregado é muito melhor. Mas conseguir superar as dificuldades é muito gostoso. É uma sensação extraordinária.”

Chieko afirma que ultrapassar obstáculos faz aumentar a confiança do empreendedor, que renasce fortalecido e melhor, porque não vai repetir novamente aquele erro. “E, no desejo de subir novamente, aprendemos coisas novas.”

Outra fonte de aprendizado e crescimento, segundo ela, vem do contato com pequenos prestadores de serviço que atendem a rede. “Acho importante dar oportunidade para os pequenos negócios, nós crescemos com eles e eles conosco. Mas acredito que para eles não deve ser muito fácil, pois sou muito exigente. Como toda mulher, observo muito os detalhes.”

Segundo ela, é importante passar trabalhos maiores do que eles acreditam que são capazes de fazer. “Faço isso por ter certeza de que eles vão conseguir, porque faço junto, vou trocando ideias. A comunicação com qualquer parceiro é extremamente importante. Ele tem de facilitar a minha vida, quero um bom resultado, mas também devo analisar se estou dando um bom feedback, se estamos alinhados na visão.”

Ela conta que a busca pela excelência no atendimento tornou o Blue Tree um celeiro para empresas do setor de serviços. “Formamos muito e até que não perdemos tanto, mas alguns vão embora. Mas acho ótimo que isso ocorra. Assim, dou oportunidade para que outra pessoa seja treinada. Além disso, aqueles que vão para o mercado melhoram o desempenho de meus concorrentes, isso faz com que eu tenha de melhorar cada vez mais também.”

Aos jovens empreendedores, Chieko diz que a primeira característica que devem ter é a confiança. “Acredite em você e na sua capacidade de atingir seus objetivos, que é o que chamamos de sonho. Lute para oferecer um diferencial. Não seja mais um no mercado, e sim um no mercado. Sempre lutei por isso, esse foi o meu foco.”

Matéria Original: Estadao.com por CRIS OLIVETTE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s